segunda-feira, 23 de maio de 2016 1 comentários

Um pouco sobre tudo


Quando não se pode romper com as tramas que lhes pregam
Quando os caminhos se entrelaçam, se cruzam e se desprendem
Quando a presença se mistura entre tantas ausências
Quando a vida se estende em pequenas formas de sobrevivência
Quando os vazios não mais se preenchem
E quando a existência escorrega num abismo mortífero
Ainda assim pode-se haver uma parte, uma arte
Uma verdade inquieta, uma realidade desperta
Uma ideia, ou uma velha, uma prega
Qualquer que seja, como seja
Uma esperança qualquer
Ou uma forma sequer
De mostrar que enquanto há vida
Há também um findar-se sem finda,
Mas que não se termina sem ao menos
Mostrar que pode-se criar
Curar
Amar.

 
;