sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Em mim

Cá estou eu, neste ínfimo espaço que me prende em mim, nas incompletudes distantes de serem inteiras, nos vão que me devolvem, nos estreitos espaços que me levam.
Sou o caos que habita em mim, sou as saudades que procuram por encontros e os encontros que procuram por saudades. 
Sou deserto. Solidão. Espaço inabitado, porém, cheio demais para caber alguma coisa. 
Sou o grito do desassossego, o grito que se faz silêncio. O silêncio que se faz som.
Sou desencontro, parto procurando por mim, mas não me encontro. Me perco em cada partida. Sinto saudades minhas.
Sou o segredo guardado nos enclausuros  do ser que ainda me resta. Nunca soube o que sou, nunca me interessei em dizer. 
Sou o que nunca fui e, fui querendo ser alguma coisa, vivendo na real-idade que me prende e procurando a liberdade que me faça ser. 

11 comentários:

Claudiomar Aparecido disse...

otimo texto

Marilia Félix disse...

É tão difícil para mim falar o que sou.
Mudo constantemente.

Na verdade, nós somos o que queremos ser.
Nossas vontades tem forças de mil asas.

Beijos, Débora.

Arlan Souza disse...

"Sinto saudades minhas."

Sinto saudades minhas em muitos aspectos, crescemos e evoluímos e desse modo devemos sacrificar muita coisa. Abrir mão do velho para dar espaço ao novo.
Desejo sorte com o blog, está muito bonito!

Vem me visitar: http://camaleaosentimentalista.blogspot.com.br/

Alex Konrado disse...

Olá passando aqui para te seguir, ficaria muito agradecido se me seguir também, aqui está meu endereço: http://www.akonrado.blogspot.com.br/

Desejo-lhe muito Sucesso! ;)

palavras ao vento disse...

belas palavras...muto bom o texto...palavras pra se refletir...

Li Limeira disse...

Lindo texto...realmente é difícil ... somos tantos, a cada momento e em cada situação, tantas coisas nos moldam que reconhecer-se ou encontrar-se é um dilema eterno na minha opinião!!!! Abraço!!!

http://alternativassonoras.blogspot.com.br/

Victor Lourenço disse...

Esse texto é tão bonito e triste.

Natália Cavalcante disse...

Tá lindo seu conto Débora !

Heitor Regiani disse...

belas palavras
=]

Pétala Souza disse...

Para refletir... O existencialismo é algo que irá sempre nos confundir, mas também é nesta reflexão que sabem onde estamos e pra onde queremos ir. Vá em frete.

Llu Cherry Bomb disse...

Muito bom!

Bjks!

http://un-necessary.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 
;